CJ Johnson volta à Los Santos com um único objetivo: reviver a glória de sua antiga gangue

CJ Johnson volta à Los Santos com um único objetivo: reviver a glória de sua antiga gangue

Desenvolvimento: Rockstar Games | Plataforma: PC/PS2 | Lançamento: 2005

O estado de San Andreas, presente em “GTA San Andreas”, é um lugar fascinante, ainda que virtual. Ao andar pelas ruas ou dirigir pelas estradas do local é possível entender exatamente as escalas evolutivas que os Estados Unidos da América passaram para chegar ao topo.

San Andreas é a reinterpretação bem humorada da Califórnia. São exatamente a mesma coisa, denominadas de maneiras diferentes – o nome do estado virtual é baseado na Falha de San Andreas, fenômeno geológico que provoca terremotos na região californiana. Mesmo que a inclusão de Las Venturas (reprodução de Las Vegas) seja um diferencial em relação ao mundo real, San Andreas ainda assim guarda suas principais características.

Baseado no submundo do crime retratado pelas letras melancólicas e combativas de Cypress Hill, NWA e 2 Pac, “GTA San Andreas” retrata com perfeição aquele ambiente denso e tenso que a atmosfera de sol, calor e garotas bonitas de biquíni tenta encobrir. Los Santos (maior cidade do jogo) é o verdadeiro “Eldorado” criminoso onde as gangues se enfrentam, confabulam e disputam seu espaço no grande mercado de drogas, prostituição, roubo e assassinatos.

Todo o cenário reproduz os já longínquos anos de 1993, em pleno auge do grunge no rock e do West Coast Hip Hop nas rádios do game. Para sorte dos imigrantes latinos que chegavam em massa às terras do Tio Sam, a controversa Proposição 187 defendida pelo ex-governador republicano Pete Wilson, seria redigida somente no ano seguinte. O projeto restringia acessos à saúde, educação e bem estar social aos imigrantes ilegais, que em sua maioria eram mexicanos e sul-americanos.